Saúde intensifica combate e prevenção da leishmaniose

A Secretaria de Saúde, por meio do setor de epidemiologia, tem intensificado o controle e prevenção da leishmaniose. A doença, que atinge principalmente o cão doméstico e os seres humanos, é transmitida pelo mosquito palha. De acordo com a coordenadora da Vigilância Epidemiologica do municipio, Marcela Diogenes, a população também deve se empenhar em manter os cuidados necessários para evitar a proliferação do mosquito transmissor da doença. “É importante manter os quintais limpos, livres de materiais em decomposição, não reutilizar de restos de alimentos como adubo, recolher folhas, frutos e fezes de animais”, orienta. O Centro de Zoonoses, através dos Agentes de Endemias são os que realizam rotineiramente a busca ativa por sintomas da doença em humanos e animais

Diagnóstico da doença
O diagnóstico precoce é fundamental para evitar complicações que podem pôr em risco a vida do paciente. Além dos sinais clínicos, existem exames laboratoriais para confirmar o diagnóstico. Entre eles destacam-se os testes sorológicos, e de punção da medula óssea para detectar a presença do parasita e de anticorpos.
É de extrema importância estabelecer o diagnóstico diferencial, porque os sintomas da leishmaniose visceral são muito parecidos com os da malária, esquistossomose, doença de Chagas, febre tifóide, etc.

Cabe ao serviço de Vigilância Epidemiológica:
⦁ Reduzir o contato do vetor com os hospedeiros suscetíveis;
⦁ Reduzir as fontes de infecção para o vetor;
⦁ Promover ações de educação em saúde e mobilização social.



54 Comentários

Deixe um comentário